DESTAQUE DE OUTRAS MALDADES...

Nós sofremos muitas maldades também, advindas de comentários veiculados na internet, pois como sempre afirmamos, somos neutros politicamente. Não apoiamos o PT, a Presidente Dilma, ou qualquer outro partido político. Apoiamos o Brasil, a Democracia e um Estado de Direito. Muitas pessoas não leem todo o conteúdo de nossas cartas abertas, não compreendendo o seu verdadeiro teor. A maldade está nos detalhes, e isto acontece em todo o Brasil, com outras pessoas em situações semelhantes.

Desde o início de nossas atividades com o Beach Club livre para o público, no ano de 1999, sofremos com todo tipo de maldade, numa época em que houve uma avalanche na confecção de boletins de ocorrência, pois tudo era motivo para se fazer um “BO”, e sem qualquer proporção, bastando dizer que algo tinha ocorrido no “Curral”, que já se rotulava a DPNY como responsável. Pessoas, inclusive, eram incentivadas a fazer boletins de ocorrência em nosso desfavor. Muitas brigas ocorreram por motivos diversos e não provocados por nenhum de nossos colaboradores, onde em alguns casos as confusões aconteciam entre terceiros, dissociados dessa empresa, mas a culpa sempre nos era atribuída. Desde o princípio, sempre buscamos cooperação e não confrontação, e o que mais fizemos até hoje é defender Ilhabela e a praia do Curral.

Mais algumas maldades que se seguiram:

I) Um grupo de 8 jovens adultos, dentre eles: Gustavo, Diego, Antonio, Bruno e Marcelo, em data de 7/2/2009, vindo do Condomínio Tabatinga, em Caraguatatuba/SP, mantiveram um comportamento completamente em desacordo com tudo que se possa imaginar, passando a agredir, sem qualquer motivo, o proprietário dessa empresa com frases do tipo:“Alemão, você é um safado, um cuzão, que roubou no seu país e veio gastar aqui no meu, você é um velho que não tem capacidade de arrumar uma mulher, porque você é um viado, uma bicha. Volte para o seu país, seu câncer. Você tem que morrer. Você é um laranja! Eu odeio alemão, eu odeio o seu país! Você acha que pode tudo, porque tem dinheiro. Eu tenho pena destes seus empregados, porque eles têm que trabalhar para você. Você não é homem. Não é a toa que você apareceu na reportagem da revista. Você não vale nada!” Todas essas palavras eram atentamente ouvidas por todos os hóspedes a volta, que estarrecidos, não acreditavam no que estavam vendo, nem ouvindo. O tempo todo, exatamente, o tempo todo, dois dos rapazes, provocavam e chamavam o proprietário do hotel para a briga. Nos pareceu, muito claramente, que eles estavam arrumando toda aquela confusão de caso pensado, ou a mando de alguém. Talvez, pelo fato de saberem que um problema sério estaria se estabelecendo, caso o proprietário, Sr. Wolfgang Ingo Napirei, reagisse a todos aqueles absurdos e tocasse em algum deles. Foram embora, um brigando e gritando com o outro, sendo que falavam entre si que eles só arrumavam confusão e que calassem a boca, e que não precisava ter feito tudo isso... O tempo todo todos os colaboradores do hotel mantiveram a calma em grau extremo, pois nenhum cidadão que circula o mínimo de sangue em suas veias suportaria escutar tamanhas barbaridades... Mas como eles, desde o início, se mostraram dispostos a criar confusão, foi necessário muito discernimento e auto controle para resolver a situação sem que tivéssemos nos tornado os vilões, como sempre alguns pensam, que a culpa é do Hotel DPNY pelas confusões que são criadas em suas dependências. Com muito custo, os rapazes foram embora... “ (o proprietário do Hotel DPNY, Sr. Wolfgang Ingo Napirei, é casado com uma brasileira, Sra. Adriana de Souza Napirei, nascida em Pindamonhangaba, e juntos têm 2 filhos, com idades de 19 e 17 anos).

II) Tivemos uma funcionária, de nome Ingrid de Carvalho Plácido, que nos causou uma imensa maldade, onde, por mais de um ano, desviou grande soma de valores da folha de pagamento dessa empresa para sua conta particular, ferindo por completo a confiança que lhe foi depositada. Providências cabíveis foram tomadas, nas áreas criminal e trabalhista, ocorrendo revelia da ex-funcionária em audiência junto a Vara do Trabalho de São Sebastião.

III) Importante ressaltar que, tivemos uma funcionária de nome Ana Luisa Novaes Giudice, exercendo o cargo de Gerente Administrativo/Financeiro até 31/5/2013, e quando de sua saída, nos causou imensos prejuízos, posto que intencionalmente excluiu dos computadores desta empresa, dados e documentos de nossa propriedade, prejudicando por demais a reestruturação de nosso sistema como um todo, visto terem sido deletadas informações de suma importância, que dificultou sobremaneira a recuperação de dados importantíssimos para as atividades dessa empresa.

IV) O diretor presidente desta empresa, Sr. Wolfgang Ingo Napirei, desde o início de suas atividades no Brasil, teve o seu nome envolvido em situações de imenso prejuízo moral e material, atingindo a sua pessoa direta e indiretamente, sendo, até os dias atuais, citado em páginas veiculadas na internet, atribuindo-lhe todo tipo de inverdade. Note que seu nome é citado nos mais diversos sites, e no caso de você realizar uma busca, encontrará mais de 105 vezes o nome “Wolfgang Ingo Napirei” em sites jurídicos, havendo em alguns casos repetição, e em outros, nenhuma relação com o proprietário desta empresa. Mas tudo isso é reflexo da defesa do Sr. Wolfgang Ingo Napirei a todos os ataques que tem sofrido há mais de 20 anos, no Brasil, contra a sua pessoa, gerando um custo de milhões de reais em honorários advocatícios e também no fato de sempre haver pessoas com intenção de manchar a imagem e marca DPNY.

WhatsApp

Excelência
Consciência, Atenção, Honestidade, Transparência, Democracia, Respeito, Liberdade, Justiça, Igualdade independente de pobre ou rico!

Participe

Cartas Abertas cadastre-se: